Prefeitura e IFSP realizam curso para formação em Soroban

Cidade

A Prefeitura de Guarulhos e o Instituto Federal de São Paulo (IFSP) firmaram parceria para interessados em aprender a fazer cálculos matemáticos por meio do instrumento Soroban. Intermediado pela Subsecretaria de Acessibilidade e Inclusão, vinculada a Secretaria de Assuntos Difusos, o curso acontecerá as terças-feiras, das 8h30 às 11h30, no IFSP – Campus Guarulhos, localizado na Avenida Salgado Filho, nº 3501, Vila Rio de Janeiro. As inscrições poderão ser realizadas até o dia 13 de março.

As aulas serão ministradas pela educadora Vanessa Carrilho Lanzarotto, pedagoga, especialista em escolarização e diversidade pela USP e em deficiência visual pelo Instituto Benjamim Constant.

No curso, os participantes aprenderão a fazer cálculos matemáticos, como as quatro operações, potenciação, radiciação, decomposição de inteiros em fatores primos, mdc e mmc, operações com números decimais, frações e números mistos. O IFSP Guarulhos disponibilizará o Soroban para uso durante as aulas e para as atividades extra classe, desde que sejam realizadas no campus. O público-alvo são professores da rede púbica ou privada, pessoas com deficiência visual, estudantes, servidores públicos e interessados em geral.

Com 12 encontros presenciais e atividades extra classe, o curso tem carga horária de 60 horas e certificado. O início das aulas será divulgado no site da IFSP e informado por e-mail aos inscritos (www.ifspguarulhos.edu.br). Serão disponibilizadas 20 vagas para o curso. As inscrições podem ser feitas pelo link:https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfwdNVWiF4QkTuMeDPT-79uW9p1fE-d1-6eQQUNLbAOpJdAAQ/viewform

História

O Soroban é um instrumento que foi desenvolvido no Japão há mais de 2.500 anos e conquistou adeptos em vários países. Foi adaptado para deficientes visuais pelo professor português, especialista em deficiência visual, Joaquim Lima de Moraes.

Segundo a portaria do MEC, nº 1.010 de 2006, considera-se que o Soroban é um contador mecânico adaptado para uso de pessoas com deficiência visual, cuja manipulação depende exclusivamente do raciocínio, diferindo portanto de uma calculadora eletrônica, sendo assim, é permitido o uso do instrumento por deficientes visuais em concursos públicos ou qualquer exame que seja necessário a execução de cálculos matemáticos.

Mais informações pelo telefone: 2414-3685/ 2422-7376

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *