Semana do Brincar destaca importância do envelhecimento saudável

Variedades

Inspiração, entusiasmo e brincadeiras marcaram o encontro entre idosos, cuidadores e voluntários nesta terça-feira (22), no Instituto Acolher, durante a programação especial da 6ª Semana Mundial do Brincar.  Repleta de brincadeiras gratuitas para crianças, jovens e adultos, a iniciativa segue com diversas atividades em inúmeros espaços da cidade até segunda-feira (28).

A programação no Instituto Acolher contou com a parceria da Prefeitura de Guarulhos, por meio da Secretaria de Educação, Cultura, Esportes e Lazer (Secel), e ofereceu demonstrações de Dança Senior, atividade que vem ganhando cada vez mais espaço com o trabalho de voluntários engajados e sensíveis em promover a qualidade de vida aos idosos.

Dança Senior

A voluntária Virginia Conceição Salvador, representante do Conselho Municipal da Pessoa Idosa de Guarulhos (CMDPI) e atuante no Presidente Dutra, Inoocop e região, destacou o crescimento e a importância da prática dos exercícios para promoção do envelhecimento saudável, tal qual a Dança Senior.

“Muitos voluntários são aqueles que fizeram o curso e agora estão multiplicando esse aprendizado em sua região. Hoje em dia, como voluntária, estou muito feliz pelo crescimento da Dança Senior”, relata Virginia. Ela esclarece ainda que já foram implantados núcleos no CEU e UBS Ponte Alta, entre outros, principalmente nas periferias de Guarulhos.

Brincando em todas as idades

De acordo com o dramaturgo irlandês George Bernard Shaw, uma das principais causas do envelhecimento é o afastamento do ato de brincar. Foi pensando nisso que a programação da Semana Mundial do Brincar priorizou atividades para incentivar o envelhecimento saudável, qualidade de vida e elevação da autoestima dos idosos.

Nair da Costa, de 84 anos, uma das participantes ativas do Instituto, contagiou os presentes com sua autoestima e alegria. Cercada de diversos desafios impostos pelo Alzheimer, principalmente pelos sintomas de declínio cognitivo e perda progressiva da memória, ela concorda que não há limites de idade para brincar: “Todo mundo fica encantada comigo, o que eu puder brincar, eu brinco. Eu nasci assim, sou brincalhona, por isso, eu chamo todos pra brincar comigo. A gente não pode se entregar”.

Para Zina Costa, fundadora do Instituto e também filha de Nair, sua mãe a inspira e motiva para que ela possa colocar em prática todo conhecimento adquirido ao longo dos últimos 8 anos, acompanhando a doença, e com os estudos da psicologia. “Foram muitas descobertas desde o inicio do tratamento. Quanto mais atividades cognitivas e de socialização a pessoa realiza, menos probabilidade de desenvolver a doença”.

O debate sobre envelhecimento saudável nas sociedades modernas envolve ainda o debate sobre respeito e a valorização do idoso, de forma a eliminar o preconceito e a produzir conhecimentos sobre o assunto. No que diz respeito ao artigo 22 da Lei 10.741/2003 do Estatuto do Idoso, o Ministério da Educação objetiva preparar as crianças já na Educação Básica, alinhando essa discussão com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Assim, fica estabelecido que sejam inseridos nos currículos mínimos, conteúdos voltados ao processo de envelhecimento da população.

A ação contou ainda com a oficina de origami, desenvolvendo maior socialização entre os participantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *