CEI decide colocar Zeitune e empresário Paulo Zhu frente a frente

Política

A Comissão Especial de Inquérito–CEI da Câmara de Guarulhos que investiga possível crime de extorsão cometido pelo vice-prefeito Alexandre Zeitune (Rede) contra o empresário Paulo Zhu ganhou mais um capítulo na manhã desta terça-feira (29). Durante a reunião ordinária da CEI, foi lido um manifesto escrito por Zeitune tentando comprovar que havia relação comercial entre ele e Zhu, situação negada pelo empresário em depoimento anterior. Isso também justificaria o fato de o vice-prefeito ter sido flagrado ao lado de um maço de notas, em foto divulgada pela imprensa guarulhense. Na dúvida sobre quem diz a verdade, a comissão votou por fazer uma acareação entre ambos.

Em seu texto, Zeitune se isenta das acusações, anexando cópias de e-mails entre o empresário e ele, nos quais discutem possível aquisição de lojas, entre outros assuntos. Moreira (PTB) não ficou satisfeito com a manifestação: “Não estou convencido sobre quem disse a verdade, temos que ouvir os dois lados para chegar a uma conclusão”, comentou. O relator da comissão, Eduardo Carneiro (PSB), acompanhou o raciocínio: “Esse encaminhamento é pertinente, temos que investigar todos os elementos, honrar nosso compromisso com a população”. Para Marcelo Seminaldo (PT), presidente da CEI, “estamos em um momento crucial da investigação, não devemos apresentar um relatório final com dúvidas”, afirmou. “Vamos fazer uma acareação entre ambos, se Zhu mentiu, ele tem que ser processado civil e criminalmente”, disparou.

Toninho da Farmácia (PSD) se manifestou pelo encerramento da CEI: “Não vejo por que continuar os trabalhos, pois está provado que não houve crime de extorsão”, avaliou. Acácio Portella (PP) e Geraldo Celestino concordaram com o colega. Genilda Lula Bernardes (PT) seguiu a mesma linha, mas foi mais enfática: “Esta investigação é um ato de perseguição política, a imagem do vice-prefeito foi maculada, agora se quer investigar crime de mentira, temos, sim, que investigar é o crime de arapongagem”, alertou a vereadora, mencionando o fato de escutas e fotografias clandestinas impulsionarem e ampararem as investigações.

Na sequência, Marcelo Seminaldo colocou em votação a convocação de Zeitune e Paulo Zhu para o confronto. Eduardo Carneiro, Moreira, Carol Ribeiro (PMDB), Luís da Sede (PSL) e o próprio Seminaldo votaram pela acareação; Genilda Bernardes, Acácio Portella, Toninho da Farmácia, Serjão Inovação (PSL) e Geraldo Celestino foram contrários. Com o empate, falou mais alto o voto da presidência da CEI. Assim, os principais personagens desta investigação serão convocados a comparecer no dia 11 de junho, às 9 horas, na Câmara para prestar depoimento frente a frente.

Antes do encerramento, Zeitune solicitou que fosse votado também o encaminhamento de Toninho da Farmácia pelo encerramento da CEI, mas o pedido foi negado por Seminaldo. “Se a CEI entendeu que é preciso fazer a acareação, é sinal de que os trabalhos devem continuar”, justificou. A partir de hoje, a comissão tem mais 30 dias para concluir a investigação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *