Saúde apresenta balanço financeiro do primeiro quadrimestre

Política

O secretário municipal de Saúde Sérgio Iglesias apresentou na tarde desta segunda-feira (4), na Câmara de Guarulhos, a prestação de contas de sua pasta referente ao primeiro quadrimestre de 2018. Segundo os números levantados pela Secretaria, da receita de impostos prevista (R$ 2.836.267.850,58) vinda do Município, do Estado e da União, foram arrecadados de janeiro a abril deste ano R$ 1.116.264.788,19, ou 39,4%. Em relação às despesas, o total de gastos, exatos R$ 270.757.577,52, equivale a um percentual de 24% do previsto para o período, bem acima do mínimo exigido por lei (15%).

Em sua apresentação, Sérgio Iglesias salientou o aumento de atendimentos e procedimentos em consultas médicas, incluindo as de urgência, em todas as especialidades, em hospitais municipais e estaduais, em UBSs e PAs e CAPs. O secretário, no entanto, lamentou a queda de 29% de procedimentos odontológicos. “Tivemos problemas na licitação para aquisição de insumos desta área e os processos para isso tiveram que ser reiniciados”, justificou. “Mesmo assim, o número de consultas odontológicas aumentou para 6,2%”, o que é positivo, ponderou.

Outro ponto destacado por Iglesias foi o crescente número de partos realizados em Guarulhos. Em relação ao mesmo período de 2017, houve um aumento de 5,6% neste índice – de 3.162 para 3.340 –, sendo que a quantidade de partos normais foi de 67,23%, contra 61,73%. “Estamos nos aproximando do ideal, que seria de 70%, mas são números bem animadores, fruto de um trabalho que a Saúde de Guarulhos tem seguido há várias gestões”, enfatizou Sérgio Iglesias.

Em relação à vigilância em Saúde, foi apresentado um balanço do trabalho feito pelo Centro de Controle de Zoonoses, destacando o monitoramento de aranhas, cobras, escorpiões, abelhas e marimbondos, que foram relativamente altos em 2017 por conta de grandes obras públicas, como o Rodoanel, e o aumento de ações de desinsetização e desratização.

Ao final da apresentação, foi dado um panorama sobre obras nos equipamentos de saúde municipais.  De acordo com o levantamento da Secretaria, não está prevista nenhum entrega nem início de obras. Questões burocráticas, principalmente com a financiadora, a Caixa Econômica Federal, impedem que sejam concluídos projetos previstos para o Hospital Pimentas, a UPA Paraíso, as UBSs Água Azul, Presidente Dutra, Ponte Grande e Parque Cecap, e o Complexo Guaru Jovem – Cras, CREA, CAPS –, além da requalificação de 19 UBSs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *