Número de consultas médicas sobe 73% na Rede Municipal de Saúde

Cidade

A Secretaria Municipal de Saúde registrou um aumento de 73% no número de consultas de especialidades no primeiro semestre deste ano, conforme dados apresentados pelo secretário José Sérgio Iglesias Filho, durante a audiência pública, realizada nesta segunda-feira, dia 4, na Câmara Municipal. Somente nos primeiros três meses do ano foram realizadas 68.816 consultas contra 39.761 registradas no mesmo perídio de 2017. De acordo com o secretário, o resultado é fruto de uma mudança do modelo operacional, que refletiu na ampliação dos atendimentos, sem ônus adicional aos cofres públicos.

No caso dos atendimentos em gastroenterologia, a ampliação foi vertiginosa, saltando de 754 para 3.361 em comparação com os três primeiros meses de 2017 e 2018. Ou seja, um acréscimo de 346%. O mesmo se verificou na assistência oferecida pelo Ceresi (Centro de Referência à Saúde do Idoso), CTA (Centro de Testagem e Aconselhamento em Infecções Sexualmente Transmissíveis/Aids), Cerest (Centro de Referência à Saúde do Trabalhador), Campd (pelo Centro de Atendimento Multiprofissional à Pessoa com Deficiência) e CER II (Centro Especializado em Reabilitação). Nesses serviços, o acréscimo de consultas foi de 102%, passando de 6.943 para 14.013 no período analisado.

Nos serviços de Saúde Mental foram realizados 12.865 procedimentos e consultas a mais nesse período, sendo 60.842 de janeiro a março de 2017 e 73.707 nos primeiros três meses deste ano, o que equivale a um aumento de 21,1%. Também aumentou em 24,5% a assistência de urgência e emergência nas unidades de pronto atendimento (PAs) e hospitais, sendo que estes últimos ainda ampliaram em 15,9% as internações clínicas e em 4,7% as cirúrgicas.

“No caso dos PAs e hospitais, o aumento da produtividade não implicou em nenhum ajuste de convênio com as instituições que gerenciam alguns dos nossos serviços. Ou seja, houve somente a mudança do modelo operacional, sem ônus adicional aos cofres públicos”, destacou o secretário de Saúde.

Atenção Básica e partos normais

O número de partos normais chegou a 67,23% do total realizado na rede pública no primeiro trimestre de 2018 e foi motivo de comemoração pelo secretário. “Estamos muito perto dos 70%, que é uma média razoável dentro das diretrizes do Ministério da Saúde. Crescemos quase 10% de 2017 para este ano e temos desenvolvido ações junto aos hospitais privados para diminuir o número de cesárias”, disse Sérgio Iglesias.

Avanços também foram verificados na Atenção Básica, com a ampliação de 10,2% no número de consultas médicas realizadas, que passou 191.107 para 210.576 no período. A única área que apresentou produção negativa foi a de odontologia, cuja queda no atendimento se deu por conta de problemas ocorridos no processo de compra dos materiais e insumos odontológicos, segundo explicou o secretário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *