Prefeitura inicia aulas de cursos profissionalizantes no Recreio São Jorge

Cidade

Aproximadamente 140 pessoas participaram nesta segunda-feira (3), da aula inaugural de diversos cursos gratuitos oferecidos pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social em parceria com o Fundo Social de Solidariedade, no Hotel Santa Mônica, no Recreio São Jorge. Voltada às pessoas de baixa renda, a ação visa à inserção dos cidadãos no mercado de trabalho e também servir como alternativa de renda familiar. Entre os cursos oferecidos estão cabeleireiro, manicure, panificação artesanal e técnicas de gastronomia e têm duração de três meses, sendo que as aulas ocorrem em parceria com o Hotel Santa Mônica, que disponibiliza o local e insumos para os cursos.

A secretária-adjunta de Desenvolvimento e Assistência Social, Cláudia Papotto, destacou o papel da capacitação profissional. “Os cursos farão a diferença na vida das pessoas. Além do conhecimento que vão ganhar, há possibilidade de arrumar emprego e geração de renda. Desejo também que este seja o primeiro de uma série de outros cursos que poderão vir”, disse Papotto.

Já a diretora de Segurança Alimentar e Inclusão Social, Edjane Ângelo Lourenço da Silva, falou sobre a situação financeira do país e as alternativas para vencer a crise. “No meio da crise econômica em que o país está vejo nos cursos uma oportunidade de se qualificar e agregar conhecimentos que vão ajudar a entrar no mercado de trabalho e na renda extra da família”, afirmou Edjane.

A gerente operacional do Hotel Santa Mônica, Lane Gomes dos Santos, contou que a parceria do estabelecimento com a Prefeitura existe desde 2011. “A parceria é importante para atender a população carente da região”, afirmou Lane, acrescentando que o hotel faz também trabalhos filantrópicos com creche e restaurante gratuitos.

Acompanhado da esposa, a diarista Naldi Santos de Souza, 57 anos, o desempregado de 60 anos, Nelson Gomes de Souza, participou da aula inaugural e irá cursar cabeleireiro. “Vou fazer o curso e trabalhar em casa. No começo, vou atender apenas homem e, futuramente, mulheres”, afirmou o morador da região do Cabuçu. Por sua vez, Naldi se matriculou no de manicure. “Vamos montar um salãozinho em família, pois não trabalho fora todos os dias. Com fé em Deus, a renda vai melhorar”, disse a diarista.

O evento contou ainda com a presença de professores e formadores que ministrarão as aulas, e de funcionários do Fundo Social de Solidariedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *