Regiões de Guarulhos ficam até dois dias sem energia elétrica

Política

Nesta quinta-feira, 28 de fevereiro, os vereadores da Câmara de Guarulhos se manifestaram contra os transtornos causados pela falta de energia elétrica após o período de chuvas. Os parlamentares solicitaram na tribuna às comissões de Defesa dos Direitos do Consumidor e Desenvolvimento Urbano e Econômico a convocação de representante da EDP Bandeirantes para prestar esclarecimentos sobre a demora do restabelecimento da rede, pois algumas regiões ficaram até dois dias sem energia elétrica.

Edmilson Lula Souza (PT) falou sobre o risco enfrentado por pacientes acamados, que usam equipamentos de saúde em casa e sobre os prejuízos de quem perdeu todos os alimentos armazenados na geladeira. “Pagamos pelo serviço, mas a cidade está às escuras”, protestou. Além do restabelecimento da rede de energia, o vereador falou sobre os buracos em frente aos pontos de ônibus. “O passageiro fica fora do abrigo, na chuva, para não se molhar quando os ônibus passam pelos buracos; isso é um descaso.”

O vereador Dr. Laércio Sandes (Democratas) ressaltou a importância da manutenção preventiva e a necessidade de substituição dos transformadores da região central, que apresentam problemas durante as chuvas. Outra dificuldade apresentada foi a demora da Secretaria de Meio Ambiente para atender aos pedidos de poda de árvores em função da falta de profissionais e equipamentos para o trabalho. O vereador Dr. Alexandre Dentista (PSDC) falou que parte dessa responsabilidade também é da EDP. “A Bandeirantes não aparece para fazer a poda com a Secretaria e depois as árvores ficam caídas pelas calçadas.”

SAÚDE

A falta de insumos voltou a entrar na pauta de discussão dos parlamentares. Dessa vez, o Profº Rômulo Lula (PT) criticou a ausência de fraldas geriátricas nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). “Há quatro meses não têm fraldas para os pacientes acamados”, explicou. O suplente André Alves (PSD) falou sobre a importância do trabalho desenvolvido pelos profissionais da UPA Cumbica, que atendem cerca de 12 mil pessoas por mês.

ATERRO

A contratação emergencial para gestão do aterro também foi alvo de debates. De acordo com o vereador Zé Luiz Lula (PT), o Executivo tem um prazo de dez dias para explicar ao Ministério Público o motivo da dispensa de concorrência pública para administrar do aterro.

MÊS DA MULHER

Com a aproximação do mês de março e do Dia Internacional da Mulher, a vereadora Janete Lula Pietá (PT) relembrou a luta de líderes negras, como Dandara, que organizou a resistência dos Palmares e a vereadora Marielle Franco, assassinada a tiros no Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *