Guarulhos realiza mutirão de papanicolau neste sábado

Cidade

Em 2018, a Secretaria de Saúde superou a meta da pactuação interfederativa entre estados e municípios, dentro do chamado SISPACTO – Sistema de Informação do Ministério da Saúde, com a realização de 58.596 exames de prevenção do câncer de colo de útero (Papanicolau), ou seja, 1.751 a mais do que o previsto entre as mulheres de 25 a 64 anos, faixa etária considerada prioritária. Neste sábado (9), em comemoração ao mês da mulher, Guarulhos irá promover o 4º mutirão para coleta de Papanicolau, com a abertura de todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS), das 8 às 16 horas.

Pode participar do mutirão toda mulher que já iniciou a atividade sexual, independente de idade ou agendamento prévio e mesmo sem pedido médico. O objetivo é intensificar a coleta do exame preventivo, a fim de detectar precocemente lesões precursoras que não causam sintomas e antecedem o aparecimento do câncer de colo de útero, também chamado de cervical. Quando diagnosticada na fase inicial, as chances de cura da doença são de 100%. Durante as campanhas para coleta de Papanicolau promovidas no ano passado foram realizados 15.762 exames.

Câncer do colo de útero

Terceiro tumor mais frequente na população feminina, atrás do câncer de mama e do colorretal, e a quarta causa de morte de mulheres por câncer no Brasil, o câncer do colo de útero é causado pela infecção persistente por alguns tipos (chamados oncogênicos) do Papilomavírus Humano – HPV. A infecção genital por este vírus é muito frequente e não causa a doença na maioria das vezes.
Entretanto, em alguns casos, podem ocorrer alterações celulares com evolução para o câncer. Facilmente descobertas no exame preventivo, essas alterações são curáveis na quase totalidade dos casos. Por isso é importante a realização periódica do Papanicolau.

O controle do câncer do colo de útero é hoje uma prioridade da agenda de saúde do país e integra o Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT) no Brasil, lançado pelo Ministério da Saúde, em 2011. Tanto, que o Ministério da Saúde introduziu no calendário nacional a vacina tetravalente contra o HPV para meninas de 9 a 14 anos e também para meninos de 11 a 14 anos.

Essa dose tetravalente protege contra os tipos 6, 11, 16 e 18 do HPV. Os dois primeiros causam verrugas genitais e os dois últimos são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero. No entanto, a vacinação e a realização do Papanicolau se complementam como ações de prevenção desse tipo de câncer, uma vez que a vacina não protege contra todos os tipos oncogênicos do HPV.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *