Tipos de feedback

Colunas

Como prometi na última coluna, hoje quero falar sobre os tipos de feedback.

Mas, porque ainda falar sobre esse assunto? Como mostramos, se o feedback não for uma prática em sua empresa, ou em sua equipe, a produtividade vai cair, a lealdade do funcionário poderá ser afetada, podem haver comportamentos indesejados e até a perda de funcioários.

Primeiro vamos pensar naquilo que não devemos fazer.

Para que você tenha o resultado esperado no feedback, não deve dar desculpas para deixar de dar feedback. Não adianta identificar o que precisa ser mudado se não for comunicado.

Não espere muito tempo depois de um evento, depois que algo aconteceu para dar o feedback. Logo depois do ocorrido, os envolvidos devem ser comunicados do que houve, do que deve ser mudado ou do que deve ser mantido.

Não seja emotive. Quando deixamos a emoção falar mais alto, perdemos a razão e muitas vezes não agimos de forma correta. Ao dar um feedback o que deve falar mais alto é a razão, a clareza na comunicação e apenas o comportamento deve ser corrigido.

Outro erro é apenas dar o feedback positivo quando for praticar um feedback corretivo. O feedback positivo deve ser uma prática constante.

Nunca compare as pessoas. Cada ser humano é único e ao comparar um profissional a qualquer outro você estará causando problemas no relacionamento da própria equipe. Respeite cada profissional como único.

E também cuidado, ao dar feedback, dê também espaço e oportunidade de melhorias. Ao mostrar para as pessoas o que deve mudar, crie oportunidade para que as mudanças ocorram.

 

Então, vamos entender quais são os tipos de feedback e como aplicar em sua equipe.

 

  1. Feedback positivo – Esse deve ser o feedback mais praticado, pois ele reforça um comportamento que desejamos que se repita.

Para aplicar o feedback positivo, primeiro explique sua percepção sobre a situação e depois explique a importância da ação para a equipe.

 

  1. Feedback corretivo – O objetivo desse feedback é modificar um comportamento. Mostrar onde está o erro e o que precisa ser mudado.

Para aplicar o feedback corretivo, tente sempre dar o feedback positive antes. Faça perguntas orientadas a um objetivo. Diga claramente qual a mudança é necessária. Aplique a disciplina necessária e estabeleça um limite.

 

  1. Feedback Insignificante – Ele é vago ou tão genérico que não revela seu real propósito. A Resposta a esse feedback é minima.

 

  1. Feedback Ofensivo – Esse é o feedback que nunca deve ser praticado. Ele causa apenas o desprezo.

 

Para finalizar essa série, quero dar a dica do feedback Hamburguer. Imagine um grande, saboroso e apetitoso hamburguer. Um lanche com dois lados de um pão com um belo recheio.

Agora imagine que o primeiro pedaço de pão, aquele que vai acima de tudo seja a primeira parte de um feedback. A primeira parte é um reforço positivo. Comece seu feedback com um elogio.  Mostrando o que você admira na pessoa, algo de positivo em algum comportamento, alguma ação que você aprova e admira.

O recheio do sanduíche são as sugestões, o feedback corretivo. Fale nesse momento o que precisa ser corrigido, o que precisa mudar. É no recheio do sanduíche que vem a observação do que precsia ser mudado.

A última etapa do feedback sanduíche é o pão que faz a base do hamburguer. Nesse momento reforce os pontos positivos, mostre os ganhos que a pessoa e a equipe terão com a mudança do comportamento ou as alterações que foram sugeridas.

Utilize as poderosas ferramentas do feedback e tenha um resultado incrível em sua empresa, em sua equipe e até, em seus relacionamentos pessoais.

 

Profa. Ms. Giovana Quini

Mentora, Coach e Palestrante – Especialista em Profissionais e Empresas da Área da Beleza. Professora Universitária na área de Administração de Empresas

Instagram – @gi.quini

Site – www.giovanaquini.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *