Prefeitura e Unifesp estudam parceria em direitos humanos e cultura

Cidade

A Prefeitura de Guarulhos e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) estudam a possibilidade de firmar parceria para cursos na área de direitos humanos e utilização do Teatro Adamastor Pimentas. Nesta terça-feira (25), os secretários Lameh Smeili (Direitos Humanos) e Vitor Souza (Cultura) receberam a diretora do campus Guarulhos da Unifesp, Magali Aparecida Silvestre, para apresentação e recebimento de propostas.

A Secretaria de Direitos Humanos solicitou parceria para curso de extensão na área de direitos humanos direcionado a cidadãos com interesse na temática, profissionais que atuam ou têm interesse de atuar na área e professores de rede pública e particular; cursos de pós-graduação em direitos humanos, lato sensu ou stricto sensu; atuação conjunta com o Observatório de Direitos Humanos na produção de pesquisas para aprimoramento das políticas públicas; intercâmbio, contribuição na elaboração do Plano Municipal de Direitos Humanos e do Fórum Municipal de Direitos Humanos, entre outros.

Documento com as solicitações foi entregue pessoalmente pelo secretário Lameh Smeili para a diretora da Unifesp. “Todos ganham quando as ações visam ao bem comum dos cidadãos”, enfatizou Lameh, que acredita na concretização das parcerias.

“Creio que as propostas são possíveis, mas tenho que consultar sobre a pós-graduação”, afirmou Magali, que prometeu encaminhas as solicitações. Na oportunidade, pediu ajuda da Secretaria de Cultura para estruturar e adequar o teatro com um projeto executivo, prevendo reforma e termo de colaboração para uso comum. O teatro está sob a tutela da Unifesp e tem capacidade para 650 pessoas.

De acordo com Magali, o teatro é um espaço de atividade cultural subutilizado, por isso vai tentar pequenos patrocínios, parcerias e doações. “Queremos saber qual o interesse da cidade e da Prefeitura em nos ajudar a movimentá-lo”, ressaltou a diretora.

O secretário de Cultura, por sua vez, disse que estudará as formas legais para ver se é possível alguma parceria dentro das demandas e propostas apresentadas pela Unifesp. “Vamos consultar nossos procuradores e analisar quais são os encaminhamentos pertinentes para a parceria. Temos demandas da região e o teatro seria uma das soluções”, afirmou Souza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *