Reaprendendo

Colunas

De todos os tesouros do mundo acredito que o conhecimento seria o de maior valor, e muitas vezes o mais desprezado.

Assim como muitos fui muito questionado na escolha que fiz ao decidir cursar Administração. Não entendiam já que profissionais que faziam este curso não contavam com um salario atrativo (na época).

Na verdade, ninguém perguntou o que buscava. Não queria apenas uma qualificação profissional, mas queria conhecer um pouco de tudo.  Desejava ter conhecimento.

Mas o que seria o Conhecimento?

Trata-se de informações que adquirimos ao longo dos anos através de experiencias, aprendizagens e valores.

Em meu ciclo familiar e social, com alguns Pedagogos, tive a informação de que conhecimento é fazer com que o indivíduo venha aprender de forma rápida sobre determinado assunto através de fixação de conceitos e princípios que já foram utilizados por outros indivíduos.

Nos atuais dias, podemos assegurar que informação é poder. Mas como já havia dito conhecimento (informação) só é possível obter ao longo dos anos. Portanto, o ponto principal não seria o de aprender para viver, mas o de viver para aprender.

Durante a jornada, na busca do conhecimento,  em busca de um mundo melhor para se viver o conhecimento se tornaria natural, o caminho se formaria e nossos passos iriam em direção daquilo que viermos acreditar. Com isso, veremos que somos capazes de mudar tudo a nossa volta inclusive vidas.

Nessa trajetória, com o conhecimento adquirido poderemos contribuir significativamente na construção de um mundo melhor. E por que não na construção de alguém melhor?

Segundo o Adm. Roberto Carvalho Cardoso (Presidente do CRA-SP), o aluno estudava administração e recebia todos os conceitos sobre o curso e ao se formar era um produto acabado.

Isso ainda é seria uma realidade?

Ao se formar e pegar o tão sonhado diploma de Bacharel ou Tecnólogo, não só o Administrador, mas todos os profissionais são obrigados a continuarem percorrendo por caminhos trilhados, ou até criarem outros.

Dessa forma, vemos que a Reaprendizagem seria uma forma de aperfeiçoar aquilo que aprendemos no passado para continuarmos abrindo estradas para que outros venham passar por elas.

Sócrates disse, “Só sei que nada sei”.

O que Sócrates queria dizer com essa frase?

Voltando as aulas de historia, Sócrates foi o maior defensor do autoconhecimento, e dedicou muito tempo de sua vida no aprender para tentar entender a sua própria natureza. Uma de suas afirmações foi que nenhum indivíduo seria capaz de praticar o mal conscientemente e propositadamente, mas que o mal seria o resultado da ignorância ou falta de autoconhecimento.

Ele simplesmente disse que, embora tivesse muito conhecimento haveriam outros depois dele  baseado ou não em seus ensinamentos que iria superá-lo, mas que também não teria todas as respostas.

Estamos falando de aproximadamente 470 a.C. Ou seja, mais ou menos 2.500 anos, na Grécia, um local isolado, sem telefone, telegrafo e muito menos internet o homem já sabia que a informação era importante.

O melhor caminho ainda seria continuar no caminho do conhecimento identificando nossas competências (pontos fortes), e trabalharmos na melhoria daquela limitações ou medos (pontos fracos) que fortaleceriam nossa inteligencia emocional repensando nossas atitudes e encaixarmos as mudanças necessárias.

Como havia dito o conhecimento é capaz de transformar vidas. Seja de forma positiva ou negativa. Se utilizado devidamente, contribuirá  na construção de um mundo melhor, ou reconstruir aquilo que não está dando certo. Se ainda não faz ideia de por onde começar. Estou pronto para ajudá-lo.

Se continuarmos fazendo a analogia como na ultima publicação (22/09/2019), somos a empresa e queremos produzir algo (bens ou serviços). Poderíamos começar com as seguintes peguntas:

Que tipo de Bens ou serviços deseja Produzir?

Melhor ainda.

Que tipo de bens ou serviços desejaria adquirir?

Bons (  ) Ruins (  ) Excelentes (  )

Na vida, como na empresa, deveremos passar por muitos processos antes de construirmos algo. Sendo assim, por que não reconstruirmos?

Dentro de uma empresa há uma ferramenta da qualidade que conhecemos como Ciclo PDCA.

            PLAN, DO, CHECK, ACTION

O Ciclo PDCA — também conhecido como Ciclo de Deming ou Ciclo de Shewhart. Uma  de muitas ferramentas da Gestão que teria o objetivo de promover a melhoria contínua dos processos através de 4 ações: Planejar (Plan), Fazer (Do), Checar (Check) e Agir (Act).

Essa ferramenta poderia facilmente ser adaptada e explorada na vida pessoal.

Tenha em mente aquilo que deseja, mantenha o foco e torne-se invencível.

Pratique o autoconhecimento e descobrirá muitas coisas sobre você.

Caso não consiga, procure um profissional que possa ajudá-lo a encontrar seus dons, talentos e limitações. Isso possibilitará que conheça uma outra versão de você sendo você mesmo.

Somos únicos, e podemos contribuir para algo muito maior.

Comece a se amar, acredite em seus sonhos, trabalhe seus pontos fortes, assim como suas limitações.

Se ainda não faz ideia de por onde começar. Estou pronto para ajudá-lo.

Marcio Sobrinho

Coach e Especialista em Desenvolvimento Pessoal

www.administradores.com.br/u/marciosobrinho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *