23.1 C
Guarulhos
quinta-feira, outubro 22, 2020

HOLDING FAMILIAR PATRIMONIAL

Constituir um patrimônio ao longo da vida não é fácil. Preservar, muito
menos. E transmitir para as outras gerações, nem se diga!
No entanto, os empresários que constituíram não se atentam com a
necessidade de se precaver com a transição e com proteção deste patrimônio.
Inclusive em relação a sua própria família, que pode ser seio de desavenças
delicadas.

Uma das opções para tal planejamento patrimonial é a chamada Holding
que é uma empresa patrimonial constituída com a finalidade específica de
administrar o patrimônio de uma ou mais pessoas físicas (familiares).
Ou seja, ao invés de as pessoas físicas possuírem bens em seus próprios
nomes, passam a possuí-los através de uma pessoa jurídica – a Holding
patrimonial.

Com isto, ainda se facilita a administração dos bens e a sucessão
hereditária, garantindo a manutenção das empresas em nome de herdeiros.
Além disso, esta sociedade pode ter maiores benefícios fiscais e proteção
patrimonial.

Resumidamente, trata-se de uma pessoa jurídica (empresa patrimonial)
que possuirá, sob sua titularidade, os bens antes pertencentes aos patriarcas
(ascendentes), como um importante tipo de planejamento sucessório.

A Holding familiar, possui diversas vantagens, vejamos algumas:
 Possibilidade de Diminuição de Conflitos Familiares:
A criação da Holding Patrimonial Familiar garante que as questões
familiares sejam isoladas das questões patrimoniais, separando eventuais
conflitos internos.
 Profissionalização da Atuação dos Sócios:

Todos os herdeiros, juntamente com seus pais, adquirem a mesma posição
na sociedade: a de sócios. A receita da pessoa jurídica será composta
exclusivamente pela distribuição de lucros e juros sobre o capital próprio,
independentemente da função desempenhada pelos sócios. A participação nos
resultados se fará de acordo com a participação no capital social da Holding ou
da forma como os sócios decidirem, pois, a participação nos lucros pode ser
desproporcional.
 Proteção Contra Terceiros:

Todos os bens e participações societárias passam para a propriedade da
Holding Patrimonial Familiar, evitando que sejam atingidos diretamente por
eventuais processos judiciais ou credores.
 Estruturação e concentração da atividade empresarial:

A Holding Patrimonial Familiar tem maior facilidade de administração dos
bens e/ou de um grupo de sociedades diante da centralização. Sendo ela a
proprietária dos bens e representante de todas as empresas controladas,
aumentará o poder de negociação com órgãos governamentais e instituições
financeiras, por exemplo, reforçando, inclusive, a sua própria imagem junto a
estas.

Este ideal de holding familiar mostra uma alternativa nos negócios
familiares para alavancar os investimentos, manter o controle e administração
centralizados, além de direcionar o crescimento do Grupo. Somado a isto, a
economia gerada através do planejamento, sem riscos para os sócios, incidindo
menos tributos e com maiores vantagens para o empresário e sua família
expandirem seus negócios, arrematam este padrão em expansão no mundo dos
negócios.

– Dra. Bruna Silva, advogada pós graduada em Direito e Processo Civil.
– e-mail: bruhnadasilva@gmail.com

Em alta

Correios e MEC preparam a entrega de 197 milhões de livros didáticos

Os Correios e o Ministério da Educação iniciaram hoje (22) operações logísticas para a distribuição de livros e materiais paradidáticos do Programa Nacional do...

Caixa libera saques do auxílio para 3,8 milhões de beneficiários

A partir desta quinta-feira (22), cerca de 3,8 milhões de beneficiários do auxílio emergencial nascidos em novembro podem sacar ou transferir os recursos da...

Fux diz que atuação do STF na pandemia está na vanguarda mundial

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, defendeu que a Corte está na vanguarda das cortes constitucionais do mundo por já ter julgado diversas...

Confiança do comércio volta ao patamar de otimismo após 6 meses

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), medido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), cresceu 10,5% em...

Notícias relacionadas

Correios e MEC preparam a entrega de 197 milhões de livros didáticos

Os Correios e o Ministério da Educação iniciaram hoje (22) operações logísticas para a distribuição de livros e materiais paradidáticos do Programa Nacional do...

Caixa libera saques do auxílio para 3,8 milhões de beneficiários

A partir desta quinta-feira (22), cerca de 3,8 milhões de beneficiários do auxílio emergencial nascidos em novembro podem sacar ou transferir os recursos da...

Fux diz que atuação do STF na pandemia está na vanguarda mundial

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, defendeu que a Corte está na vanguarda das cortes constitucionais do mundo por já ter julgado diversas...

Confiança do comércio volta ao patamar de otimismo após 6 meses

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), medido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), cresceu 10,5% em...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui