22.3 C
Guarulhos
segunda-feira, janeiro 18, 2021

LIVRE CONCORRÊNCIA SIM, A QUALQUER PREÇO JAMAIS

Sabemos que ao mercado empresarial é assegurado a livre concorrência a qual está, inclusive, amparada pela Constituição Federal em seu artigo 170 o qual traz os princípios gerais da atividade econômica e trabalho humano livre, daí concluí-se que o exercício de qualquer atividade econômica lícita é livre e assegurado a todos a livre competição sem que haja concorrência desleal que visem limitar, falsear ou prejudicar a livre concorrência, livre iniciativa, dominar mercados de bens ou serviços ou aumentar arbitrariamente lucros. É sempre bom lembrar que a concorrência desleal não visa o cerceamento da concorrência, mas tão somente a clientela, assim o empresário utiliza meios ilícitos para persuadir e desviar para si a clientela de seu concorrente utilizando condutas fraudulentas que objetivam denegrir a imagem do concorrente, do seu produto, estabelecimento, dentre outras, que obviamente desvirtuam o conceito da livre concorrência que é a de proporcionar aos clientes o direito de escolha na satisfação das suas necessidades e a de poder escolher entre produtos ou serviços que lhe ofereça o melhor custo benefício presente e futuro e é sempre bom lembrar que melhor custo não quer dizer menor preço.

Em algum momento percebemos que de certa forma, o objetivo da concorrência lícita e ilícita são os mesmos, ambas visam aumentar sua clientela, mas a diferença está no modo que os clientes serão atingidos e o grande desafio sempre será como punir quem se utiliza de práticas maliciosas que afrontam as boas práticas, a livre iniciativa e a ética concorrencial, ocasionando danos aos clientes e consumidores, mas felizmente o abuso pode e deve ser coibido através da lei de defesa da concorrência (Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência – SBDC que regula tanto a conduta das empresas como as estruturas de mercado e pune as infrações da ordem econômica, protege as empresas lesadas, sua clientela e resguarda a sua reputação, o que ótimo, porque temos uma ferramenta imprescindível que norteia as condutas morais entre empresários e seus concorrentes, junto aos seus concorrentes, clientes e consumidores, demonstrando que a ética empresarial deve estar acima da busca por posições dominantes ou lucro a qualquer custo.

Empresários tem o dever de atuar com probidade, responsabilidade social e sempre nortear suas ações dentro das mais rigorosas condutas éticas, morais, de ótima reputação e busca constante da concorrência salutar. Assim vou parafrasear Waldo FAzzio Junior: “Não se teça confusão entre concorrência e concorrência maliciosa ou desleal. A primeira, inerente à economia de mercado, é o resultado natural da competição entre empresas, intentando persuadir e atrair a clientela. A segunda deriva do engodo e da fraude”. Waldo Fazzio Junior

Daniel Viso – CEO GRUPO LUMAR

Em alta

Órgãos de proteção alertam consumidor sobre compra de material escolar

Atentos às dúvidas sobre a compra de material escolar, os órgãos que atuam na defesa do consumidor divulgaram neste início de ano recomendações para...

Enfermeira de São Paulo é primeira brasileira vacinada contra covid-19

Logo após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter aprovado o uso emergencial da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus produzida pelo Instituto...

Área técnica da Anvisa recomenda uso emergencial da CoronaVac

O uso emergencial da CoronaVac, desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, recebeu o aval da área técnica da Agência...

Total de mortes no mundo por covid-19 passa de 2 milhões

O número de mortes provocadas pela pandemia do novo coronavírus já ultrapassou dois milhões. Dados reunidos pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, apontam para...

Notícias relacionadas

Órgãos de proteção alertam consumidor sobre compra de material escolar

Atentos às dúvidas sobre a compra de material escolar, os órgãos que atuam na defesa do consumidor divulgaram neste início de ano recomendações para...

Enfermeira de São Paulo é primeira brasileira vacinada contra covid-19

Logo após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter aprovado o uso emergencial da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus produzida pelo Instituto...

Área técnica da Anvisa recomenda uso emergencial da CoronaVac

O uso emergencial da CoronaVac, desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, recebeu o aval da área técnica da Agência...

Total de mortes no mundo por covid-19 passa de 2 milhões

O número de mortes provocadas pela pandemia do novo coronavírus já ultrapassou dois milhões. Dados reunidos pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, apontam para...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui